Valeu, meninas!

Camponesa/Minas é superado pelo Rexona-Sesc e é vice-campeão



Por José Luiz Júnior

Campinas (SP) – O Camponesa/Minas é vice-campeão da Copa Brasil. O time foi vencido pelo Rexona-Sesc, nesse sábado, em Campinas, na final da competição, por 3 sets a 0, com parciais de 25/15, 25/21 e 25/20. Apesar da derrota, a primeira em 2017, o time minastenista foi brilhante no torneio. Com muita garra, as meninas do Minas levaram o Clube à uma final de campeonato nacional depois de quase 13 anos. Foi uma competição muito dura, mas o time esteve em quadra aguerrido em busca de um bom resultado. Do outro lado, o forte time carioca levou vantagem e venceu a disputa para se sagrar campeão. Agora, a equipe do técnico Paulo Coco esquece a Copa Brasil e volta as atenções para a Superliga Feminina. Na próxima sexta-feira (3/2), a equipe enfrenta o Sesi-SP, às 19h, em Santo André, no ABC Paulista.

Camponesa/Minas ficou com o vice da Copa Brasil (Foto: Orlando Bento/Minas Tênis Clube)Camponesa/Minas fica com o vice da Copa Brasil (Foto: Orlando Bento / Minas Tênis Clube)

Reconhecimento
A equipe minastenista mostrou muita determinação, mesmo contra um time forte, como o Rexona-Sesc. Não faltaram, em momento algum, garra e vontade das jogadoras. Jaqueline participou muito do jogo e teve boa atuação no ataque, ao lado de Hooker e Pri Daroit. No bloqueio, Carol Gattaz e Mara fizeram de tudo para segurar o forte ataque do Rio. O elenco do técnico Paulo Coco deixa a competição com a medalha de prata e com a cabeça erguida pela determinação que apresentou em quadra.

A campanha
O time de Belo Horizonte terminou o primeiro turno da Superliga na sexta colocação. Assim, assegurou vaga na Copa Brasil e pegou o Terracap/BRB/Brasília Vôlei, terceiro colocado do primeiro turno. Na casa do adversário, o Camponesa/Minas venceu por 3 sets a 0. Já na semifinal, as minastenistas fizeram um jogo duro contra o Vôlei Nestlé, de Osasco (SP). Com muita raça, eliminou o time paulista, por 3 sets 2. A semifinal, que começou na noite de sexta-feira, terminou na madruga de sábado. Menos de 24 horas depois, lá estava o Camponesa/Minas para decidir o título nacional.

Fala, capitã
"Não conseguimos fazer um bom jogo. Jogar contra o Rexona-Sesc é sempre muito difícil. A equipe é forte, tem muita qualidade e sabe jogar finais. Mas nossa equipe foi muito bem no campeonato. Na Superliga, também temos crescido a cada rodada e vamos subir ainda mais. Deixamos a Copa Brasil de cabeça erguida e sabemos que fizemos de tudo para chegar aqui. Nem sempre se ganha, mas vamos lutar até o fim para levar o Minas cada dia mais alto” - Carol Gattaz, central e capitã do Camponesa/Minas.

Torcedores fiéis
Um bom número de torcedores do Camponesa/Minas saiu de Belo Horizonte e para acompanhar o time no ginásio do Taquaral. Eles se juntaram à torcida campineira, já que grande parte dela torceu pelo Minas, e fizeram muito barulho na arquibancada. Após o jogo, os torcedores reconheceram a garra da equipe e aplaudiram o time de pé.

Ficha técnica
Rexona-Sesc: 
Gabi, Juciely, Monique, Anne, Roberta, Carol e Fabi (líbero). Técnico: Bernardo Rezende.
Camponesa/Minas:
 Naiane, Hooker, Mara, Carol Gattaz, Pri Daroit, Rosamaria e Léia (líbero). Entraram: Jaque, Fran, Karine, Karol Tormena. Técnico: Paulo Coco.
Árbitros: Paulo Beal, de Santa Catarina, e Rogério Espicalsky, do Espírito Santo.

Patrocinador: Leite Camponesa
Patrocinador: Embaré
Patrocinador: Solótica
Patrocinador: Localiza
Fornecedora de materiais esportivos: Ícone Sports

Fotos: Orlando Bento / Minas Tênis Clube