Raymundo Colares – Espaço, tempo e cor

A curadora Ligia Canongia faz palestra sobre a obra e a trajetória do artista mineiro, referência da arte moderna brasileira

Raymundo Colares – Espaço, tempo e cor


No dia 23 (quinta-feira), às 19h, a crítica de arte e escritora Ligia Canongia, curadora da exposição “Raymundo Colares: de volta à estrada”, estará na Galeria do Centro Cultural Minas Tênis Clube (CCMTC), onde fará a palestra “Raymundo Colares – Espaço, tempo e cor”. Na ocasião, será lançado o catálogo com fotos das 30 obras do artista mineiro, que estão reunidas na Galeria do CCMTC. A entrada é franca.

Na palestra, Ligia Canongia abordará temas e características peculiares da obra de Raymundo Colares, suas referências históricas, a influência do cinema e das histórias em quadrinhos; o espaço fragmentado e pluridimensional; a temporalidade descontínua na dinâmica formal; e a cor como estrutura da arte de Colares.

Ligia Canongia, curadora da mostra, e André Rubião, diretor de Cultura do Minas Tênis Clube (foto: Orlando Bento)Ligia Canongia, curadora da mostra, e André Rubião, diretor de Cultura do Minas Tênis Clube (foto: Orlando Bento)

Mineiro da cidade de Grão-Mogol, Colares nasceu em 1944 e faleceu tragicamente, em Montes Claros, em 1986, deixando um legado importante na história da arte nacional. Considerado, segundo críticos especializados, um dos maiores nomes da arte moderna no Brasil, nas décadas de 1960 a 1980, sua obra se situa no embate, ou fusão, da influência da pop art norte-americana com o que já havia no Brasil, a arte construtivista. As obras de Mondrian (1872-1944), Delaunay (1885-1941), Duchamp (1887-1968) e dos futuristas italianos foram importantes na formação de Colares, cujos trabalhos já apresentavam a iconografia urbana.

Sobre a exposição      

Até o dia 2 de fevereiro, a exposição “Raymundo Colares: de volta à estrada” estará na Galeria do Centro Cultural Minas Tênis Clube (CCMTC), com 30 obras, entre pinturas, gravuras, guaches, os famosos gibis, o diário pessoal e farto material documental sobre a vida e a obra do artista. A curadoria é da crítica e escritora Ligia Canongia. A Galeria do CCMTC faz parte do Circuito Cultural Praça da Liberdade e funciona de terça a sábado, das 10h às 20h, e domingos e feriados, das 11h às 19h. A entrada é franca.

Mais que apresentar a obra de Colares, a exposição do CCMTC reverencia a sua memória, já que inclui trabalhos realizados por outros artistas brasileiros em homenagem a ele.

Siga as redes sociais oficiais da Cultura do Minas:
Facebook: 
/mtccultura
Instagram: @mtccultura

Serviço:

Palestra “Raymundo Colares – Espaço, tempo e cor” e lançamento do catálogo da exposição Raymundo Colares: de volta à estrada
Data:
23 de janeiro, quinta-feira.
Horário: 19h.
Classificação: livre.
Ingressos: entrada franca.
Horário de funcionamento da bilheteria: de segunda a sábado, das 12h às 20h, e domingo, das 12h às 19h. A bilheteria funciona até 30 minutos depois do início do espetáculo. Formas de pagamento: dinheiro e todos os cartões de débito e crédito. Horário de abertura da plateia para entrada do público: 30 minutos antes do horário da apresentação.
Mais informações: (31) 3516-1360.
Estacionamento com acesso interno: entrada pela rua da Bahia, ao lado do Teatro. Após estacionar o veículo, o usuário chega ao Teatro por elevador interno, com rapidez e segurança.  O Estacionamento fica aberto até meia hora após o fim do espetáculo. Valores: R$ 12, para sócios, e R$ 24, para não sócios.