Perfume de sertão

Coletivo Viola Perfumosa faz show emblemático no CCMTC

Perfume de sertão


Fotos: Divulhação/Minas Tênis Clube

O Teatro do Minas Tênis Clube recebeu na noite de 8 de setembro o  "Viola Perfumosa - Uma homenagem à Inezita Barroso". Um show delicado, carregado de memórias e sensações do sertão brasileiro. A real música sertaneja foi tocada, lembrada e interpretada com sotaque caipira e a sofisticação de instrumentos camerísticos. Formado por Ceumar, Lui Coimbra e Paulo Freire, o coletivo “Viola Perfumosa” é um resgate da “música brasileira de verdade”, segundo disse a cantora durante o show. A apresentação foi feita para ser assistida com um cafezinho e o calor do fogão de lenha.

Ignez Magdalena Aranha de Lima, ou simplesmente Inezita Barroso, foi cantora, atriz, instrumentista, folclorista, professora, apresentadora de rádio e de televisão. A artista ganhou, da Universidade de Lisboa, o título de doutora “Honoris Causae” por seu conhecimento sobre folclore brasileiro. Inezita fez parte de elencos de espetáculos musicais, cinema e teatro. De acordo com o Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira, entre 1951 e 2015, ela gravou mais de 50 discos com canções inéditas, regravações e coletâneas.

 

A apresentação foi uma ode à canção que mora no interior do país e no interior de cada um. A cada momento da apresentação, as canções traziam à memória boas lembranças de um interior onírico, em que, de acordo com a letra de uma das eternas canções de Inezita, tem o bom gosto do bolinho de fubá com café quente no fogão à lenha. Os causos de Inezita foram contados por Paulo arrancando risos e muitos aplausos da plateia.