Foi por pouco

Camponesa/Minas perde para o Sesc/RJ na final da Supercopa



A equipe Camponesa/Minas esteve perto de conquistar mais um título na temporada 2017. Porém, nesta sexta-feira, a equipe foi derrotada pelo Sesc/RJ, por 3 sets a 2 (21/25, 25/22, 25/19, 19/25 e 15/10). O confronto foi válido pela decisão da Supercopa e foi realizado no Centro Olímpico de Fortaleza, no Ceará. O público presente pode presenciar uma grande partida, cheia de emoção e qualidade.

Rosamaria tentou, mas não impediu a perda do título (Foto: Jarbas Oliveira/MPIX/CBV)Rosamaria tentou, mas não impediu a perda do título (Foto: Divulgação / Jarbas Oliveira / MPIX / CBV)

Agora, o Camponesa/Minas foca a estreia na Superliga Feminina de Vôlei, nesta terça-feira (17/10), às 20h, contra o São Cristóvão Saúde/São Caetano, na Arena Minas Tênis Clube.

A ponteira Rosamaria, que lutou muito durante todo o jogo, se mostrou confiante para a estreia na Superliga. “Independentemente da perda do título, nosso time está em crescimento. Neste momento, tudo é válido, tudo é crescimento. Disputamos até o fim. Ainda temos uma jogadora para chegar, que faz a diferença. Estamos de parabéns, assim como o Sesc/RJ. Estamos com a cabeça muito boa para a estreia na Superliga”, afirmou a jogadora.

O retorno a Belo Horizonte está marcado para este sábado.

O jogo
O Sesc/RJ começou melhor a partida, com muita intensidade no fundo de quadra. A Camponesa/Minas tinha dificuldades para virar as bolas, e o placar mostrou grande vantagem para a equipe carioca. Porém, aos poucos, a levantadora Macrís entrou no jogo e começou a distribuir bolas incríveis. Rosamaria, Carol Gattaz, Mara e Pri Daroit cresceram na partida e empataram o confronto. No fim do set, o time minastenista deslanchou, abriu larga vantagem e fechou em 25/21.

No segundo set, aconteceu o inverso. A Camponesa/Minas dominou quase o tempo inteiro. Porém, o Sesc/RJ, com paciência e muita consistência, nos momentos decisivos, virou o placar. O técnico Stefano Lavarini usou os períodos de tempo, alterou a equipe, mas nada foi suficiente para mudar o panorama. Fim do segundo set: 22/25.

As jogadoras minastenistas sentiram a virada no segundo set. Tanto que, no terceiro, tiveram muitas dificuldades para equilibrar o jogo. O Sesc/RJ, com experiência, tratou de abrir vantagem no placar. Stefano Lavarini colocou em quadra Karine, Mayane, Geórgia e Natália, para ver se a situação melhorava. E melhorou. No fim do set, a Camponesa/Minas já havia equilibrado as ações, mas a diferença era muito grande, quase impossível de reverter. No fim, vitória das cariocas: 25/19.

Quando tudo dava pinta de que o Sesc/RJ fecharia o jogo, a Camponesa/Minas reagiu. O quarto set foi espetacular, principalmente com a passagem de Pri Daroit no saque e com os bloqueios de Mara. A vantagem foi crescendo e, embora as cariocas tenham crescido no fim do período, a equipe minastenista teve calma e, com uma bola de Carol Gattaz, empatou a partida: 25/19.

O tie-break foi equilibrado, desde o início. Mas, no fim, venceu quem errou menos. O Sesc/RJ foi mais firme, mais consistente e conseguiu chegar ao título. O Camponesa/Minas errou bastante nas últimas bolas, e o jogo terminou em 15/10.

Ficha técnica
Camponesa/Minas: Macrís, Mara, Pri Daroit, Rosamaria, Carol Gattaz, Karol Tormena e Léia (líbero). Entraram: Natália, Karine, Geórgia, Mayane. Técnico: Stefano Lavarini.
Sesc/RJ: Roberta, Mayhara, Gabi, Drussyla, Vivian, Monique e Fabi (líbero). Entraram: Cassiele e Carol Leite. Técnico: Bernardinho.

Fotos: Divulgação / Jarbas Oliveira / MPIX / CBV

Patrocinador: Leite Camponesa
Patrocinador: Embaré
Patrocinador: Localiza
Patrocinador: Newton Paiva
Fornecedor de Material Esportivo: Karine Lessa