É prata!

Minas é vice-campeão do Mundial de Clubes



(Foto: Divulgação / FIVB)(Foto: Divulgação / FIVB)

Shaoxing, China – Na manhã deste domingo (9/12), quando já era noite na China, o Minas entrou em quadra para lutar pelo título do Campeonato Mundial de Clubes. Depois de vencer o Eczacibasi, da Turquia, na semifinal, por 3 sets a 2, as comandadas de Stefano Lavarini tinham que superar outra equipe turca na busca pelo inédito título Mundial. Do outro lado da rede estava o Vakifbank, com o forte elenco que venceu o Praia Clube, na outra semifinal, por 3 sets a 1.

O confronto teve vários momentos de equilíbrio, principalmente nos dois primeiros sets, mas, no fim, a equipe turca levou a melhor. Em 1h30 de jogo, o Vakifbank venceu a partida por 3 sets a 0 (25/23, 25/21 e 25/19). Com grande campanha, em uma semana repleta de jogos disputados e muito frio em Shaoxing, na China, o Minas ficou com o vice-campeonato do Mundial de Clubes 2018.

A ponteira Gabi, com 16 pontos, e a oposta Bruna Honório, com 15, foram as maiores pontuadoras da equipe mineira. Pelo lado do Vakifbank, Ting Zhu e Kelsey Robinson, 21 e 13 pontos, respectivamente, foram os destaques das campeãs.

O que vem por aí

Agora, o Minas volta a se concentrar na disputa da Superliga Feminina 2018/19. As minastenistas terão o próximo desafio na competição nacional no dia 15 de dezembro, fora de casa, às 20h, quando enfrenta o Balneário Camboriú.

Prêmios individuais do Minas no Mundial

Melhor ponteira – Gabi.
Melhor levantadora – Macrís.
Melhor bloqueio – Mayany.

Torcida em casa

Do outro lado do mundo, na Arena MTC, a fanática torcida minastenista mandava energia positiva para as jogadoras em Shaoxing. A Localiza distribuiu batecos aos torcedores, que, na quadra da Arena, acompanharam o jogo por um telão e vibravam muito a cada ponto do time mineiro.

Honraram o nome do Minas

A campanha da prata minastenista no Campeonato Mundial de Clubes merece destaque. Foram três vitórias e duas derrotas. Os dois resultados negativos foram justamente para o Vakifbank (uma derrota pela fase de grupos e a outra na final).

Os jogos provaram que o trabalho feito pela comissão técnica minastenista está no caminho certo. A vitória na semifinal, por 3 sets a 2, diante da forte equipe do Eczacibasi, da Turquia, mostrou que o Minas pode sonhar com grandes conquistas na temporada, que já teve o título do Campeonato Mineiro.

O Mundial também mostrou grandes atuações de Natália e Gabi, que vestem a camisa do Clube pela primeira vez na carreira. Em pouco tempo, criaram forte identificação com torcida mineira e honraram as cores do Clube na China.

Léia esteve entre os principais nomes da competição. Carol Gattaz, como sempre, foi exemplo de liderança.

As mais jovens, como a levantadora Bruninha e a central Mayany, mostraram que podem fazer muito pela equipe na temporada 2018/19.

No comando da comissão técnica, Stefano Lavarini liderou a equipe com muita inteligência em momentos decisivos da competição, orientando o time na campanha que terminou com a prata.

A oposta Bruna Honório e a levantadora Macrís não se intimidaram na semifinal e contribuíram muito para a conquista da vaga na decisão. A levantadora, por exemplo, foi cerebral, contribuindo muito com os ataques das companheiras de time e confundindo a defesa adversária.  

O jogo

Os primeiros pontos do jogo foram marcados pelo Minas. O Vakifbank, porém, não permitiu que as minastenistas criassem vantagem no placar. Assim, o primeiro set do confronto final do Mundial de Clubes foi marcado pelo equilíbrio. As equipes chegaram a empatar em 20 a 20, mas o Vakifbank foi melhor nos últimos pontos. Mesmo com o Minas salvando dois set points, a equipe turca fechou a parcial por 25 a 23.

O Minas começou o segundo set na liderança do placar, mas a vantagem não significava vida fácil. Em sete minutos de jogo, a partida já estava empatada. O equilíbrio permaneceu até o 12º ponto da equipe turca, momento em que o Vakifbank assumiu a liderança e aproveitou a vantagem no marcador. Em 28 minutos, o Vakifbank venceu o segundo set por 25 a 21.

No último set, o Minas não conseguiu pressionar o adversário como nas duas primeiras parciais. Mesmo lutando muito, acabou perdendo o set por 25 a 19. Assim, o Vakifbank levantou o título mundial ao vencer o jogo por 3 sets a 0.

Todos na torcida

"Nossas jogadoras são vitoriosas e glorificam a nossa camisa. Toda a nossa diretoria, nossos colaboradores e nossos ex-atletas agradecem a dedicação e a luta de cada uma durante as partidas. Que venha a Superliga" – Ricardo Vieira Santiago (presidente do Minas Tênis Clube).

"O Minas brilhou. Realmente, lutou com muita garra e com muita valentia, demonstrando o crescimento do nosso voleibol. O time honrou o Brasil, não só Minas. Nós estamos muito felizes com a equipe, e o resultado, mesmo o segundo lugar, é um grande resultado" – Fernando Zefferino (diretor Ouvidor do Minas Tênis Clube).

"Eu já fiquei feliz pelo fato do Minas ser campeão sul-americano e poder disputar o Mundial contra as grandes potências do mundo. São seleções que tem jogadoras estrangeiras, o nosso time é o único do campeonato que só tem brasileira, então, eu estou muito orgulhosa. O que o Minas fez ontem já é motivo de muito orgulho, estamos de braços abertos para receber as jogadoras. Esse feito que elas fizeram nunca mais vamos esquecer, essa prata vai ser muito comemorada mesmo" – Laissa Barros, torcedora que acompanhou o jogo na Arena.

Ficha técnica

Minas: Carol Gattaz, Macrís, Bruna Honório, Gabi, Mayany, Natália e Léia (líbero).
Entraram: Bruninha, Georgia, Malu e Mara.
Técnico: Stefano Lavarini.

Vakifbank: Ting Zhu, Kelsey Robinson, Milena Rasic, Zehra Gunes, Lonneke Slöetjes, Cansu Ozbay e Hatice Gizem Orge (líbero).

Técnico: Giovanni Guidetti.

 

Árbitros: Jiang Liu e Patricia Rolf.

 

Delegação na China
O Minas esteve em Shaoxing com as ponteiras Gabi, Natália e Lana; com as centrais Carol Gattaz, Mara e Mayany; com as opostas Bruna Honório e Malu; com as levantadores Macrís e Bruninha; e com as líberos Léia e Georgia. A comissão técnica foi formada pelo técnico Stefano Lavarini, pelo assistente técnico Durval Nunes (Duda), pelo preparador físico Alexandre Marinho, pela fisioterapeuta Marcela Gomide, pelo estatístico Rodrigo Fuentealba, pelo gerente de vôlei feminino Jarbas Soares Ferreira, pela diretora de vôlei feminino Keyla Monadjemi e pelo diretor médico Rodrigo Otávio. O jornalista José Luiz Júnior, da Assessoria de Comunicação do Minas, acompanhou a delegação.

Mundial de Clubes
4/12 – Minas (3 x 2) Volero Le Cannet - Shaoxing (China) – (12/25, 25/20, 25/16, 17/25 e 16/14)
5/12  - Zhejiang Jiaxing (1 x 3) Minas - Shaoxing (China) – (17/25, 25/21, 10/25 e 17/25)
7/12 – Vakifbank (3 x 0) Minas - Shaoxing (China) – (25/23, 30/28 e 25/28) 
8/12 – Eczacibasi (2 x 3) Minas - Shaoxing (China) – SEMIFINAL (25/22, 24/26, 13/25, 25/23 e 15/12)
9/12 – Minas (0 x 3) Vakifbank - Shaoxing (China) – FINAL – (23/25, 21/25 e 19/25)

Patrocinador: Localiza Hertz 
Patrocinador: Axial
Patrocinador:  JAM Engenharia

Fornecedor de Material Esportivo: Rainha

Siga as redes sociais oficiais do Vôlei do Minas:

Facebook: /mtcvolei
Instagram: @mtcvolei

Fotos: Ignácio Costa / Minas Tênis Clube e FIVB / Divulgação