Agora, é no Rio

Em jogo duro na Arena MTC, Camponesa/Minas é superada pelo Sesc-RJ



A noite dessa sexta-feira mostrou que a semifinal da Superliga entre Camponesa/Minas e Sesc-RJ vai ser duríssima. Depois de abrir 2 sets a 0 na Arena MTC, a equipe mineira foi surpreendida pelas cariocas, que venceram, de virada, e abriram 1 a 0 na série melhor de cinco jogos. As parciais do confronto foram: 26/24, 25/23, 21/25, 25/27 e 7/15. A oposta Hooker foi a maior pontuadora do jogo, com 32 pontos. Monique, do Sesc-RJ, foi eleita a melhor da partida e levou o Troféu Viva Vôlei. O público na Arena MTC foi de 3.550 torcedores.

Oposta Hooker foi a maior pontuadora do jogo, com 32 pontos (Foto: Orlando Bento/MTC)Oposta Hooker foi a maior pontuadora do jogo, com 32 pontos (Foto: Orlando Bento/MTC)

Agora, a Camponesa/Minas vai ao Rio de Janeiro (RJ) para o segundo jogo da semifinal. O duelo será na próxima segunda-feira (26/3), às 21h30, na Jeunesse Arena, na Barra da Tijuca. O Sportv transmite a partida. O terceiro duelo também será no Rio, no dia 31/3, às 15h. Se necessário, a quarta partida volta para a capital mineira, no dia 3/4. Por fim, também se preciso for, o quinto e decisivo jogo será no Rio de Janeiro, previsto para o dia 6/4 .

Antes do jogo, a levantadora Karine Guerra, que anunciou a aposentadoria após o jogo contra o Fluminense, pelas quartas de final, recebeu uma homenagem da diretoria do Minas. Karine está grávida de sete meses.

Karine Guerra recebeu uma homenagem da diretora Keyla MonadjemiKarine Guerra recebeu uma homenagem de sua filha, Anna, e da diretora Keyla Monadjemi  (Foto: Orlando Bento/MTC)

Bola em jogo
O jogo começou muito disputado. Desde o início, as equipes mostraram que a série semifinal será muito equilibrada. O Sesc-RJ iniciou melhor a partida e abriu vantagem em determinados momentos do jogo. No entanto, sem se abalar e com muita frieza, as minastenistas foram para cima e conseguiram virar o placar para abrir 1 a 0 no jogo, com parcial de 26/24.

O segundo set começou com a mesma intensidade. A Camponesa/Minas esteve melhor no início e abriu boa vantagem (22/15). Neste momento, quando a parcial se encaminhava para o fim, as cariocas cresceram no jogo e conseguiram diminuir a diferença. Stefano Lavarini parou o jogo e pediu calma às suas comandadas. Mais tranquilas e à frente no placar, conseguiram fazer 2 sets a 0: 25/23.

O terceiro set foi diferente. O Sesc-RJ conseguiu marcar o ataque minastenista e, aos poucos, abriu vantagem. A Camponesa/Minas, por outro lado, teve muito trabalho na defesa e acabou cometendo alguns erros. Desta forma, as cariocas venceram o set, por 25/21, e diminuíram a diferença no placar (2 sets a 1).

O quarto set foi marcado pelo nervosismo. A Camponesa/Minas ficou à frente no placar o tempo todo e esteve muito perto de fechar a partida (24/20). No entanto, a ansiedade atrapalhou o time, que errou muito, após boa sequência de saques das cariocas. Desta forma, as minastenistas viram o Sesc-RJ empatar o jogo ao fazer 27/25.

No tie-break, o nervosismo atrapalhou as minastenistas mais uma vez. Do outro lado, o Sesc-RJ conseguiu fazer o seu jogo e fechou a partida com ampla vantagem no quinto set: 15 a 7.

O técnico Stefano Lavarini lamentou a derrota, mas destaca que o time minastenista está vivo na competição e que a série será longa. “Jogamos contra o Rio, não jogamos contra um time fraco. E pode ser que lá, eles consigam abrir 2 a 0 e a gente virar, como eles fizeram. Começamos bem o jogo, vencemos dois sets, mesmo que apertados e tivemos uma defesa muito boa. No terceiro, demos uma caída grande no ataque e na defesa. O Rio soube equilibrar o jogo e cresceu demais no ataque. Paramos de defender. No quarto, foi uma pena! A gente vencia, com grande vantagem e foi o set que a gente atacou melhor no jogo. Mas, no fim, na parte mais importante, não conseguimos administrar a vantagem e erramos muito. No tie-break, após a virada, o Rio jogou com muito mais confiança e conseguiu fechar o jogo. Não vamos nos abalar. Vamos para cima e tenho certeza que ainda tem muita coisa para acontecer”, analisou Stefano Lavarini.

Ficha técnica
Camponesa/Minas:
 Macrís, Rosamaria, Carol Gattaz, Mara, Newcombe, Rosamaria e a Léia (líbero). Entraram: Pri Daroit, Karol Tormena, Laiza, Mayany e Georgia. Técnico: Stefano Lavarini.
Sesc-RJ:  Roberta, Juciely, Drussyla, Gabi, Mayhara, Peña e Fabi. (líbero). Entrou:  Carol Leite, Kasiele, Monique e Vitória. Técnico: Bernardo Rezende .
Árbitros: Jediel de Carvalho e André Luiz Costa, ambos de São Paulo.
Público: 3.550 torcedores

Superliga – Semifinal
23/3 – Camponesa/Minas (2 x 3) Sesc-RJ – Arena MTC – Sportv
26/3 – 21h30 – Sesc-RJ x Camponesa/Minas – Jeunesse Arena (RJ) – Sportv
31/3 – 15h – Sesc-RJ x Camponesa/Minas – Jeunesse Arena (RJ) – Sportv e Rede TV!
3/4 – 19h – Camponesa/Minas x Sesc-RJ – Arena MTC – Sportv (se necessário)
6/4 – 21h30 – Sesc-RJ x Camponesa/Minas – Arena MTC – Jeunesse Arena (RJ) – Sportv (se necessário) 

Patrocinador: Leite Camponesa
Patrocinador: Embaré
Patrocinador: Localiza Hertz
Patrocinador: Newton Paiva
Fornecedor de Material Esportivo: Karine Lessa

Fotos: Orlando Bento/MTC