111 Minas Tênis Clube
 

Niyama: a purificação de si mesmo

Niyamas são princípios éticos individuais que desenvolvem a força física e mental para a autorrealização.

São eles: limpeza (sauca), contentamento (santosa), austeridade (tapas), autoestudo ou estudo do Ser (svadhyaya) e devoção à Unidade Suprema (Isvara pranidara).

Hoje, falaremos um pouco sobre a limpeza (sauca). Podemos lavar o corpo externo com um banho e manter os espaços nos quais moramos, trabalhamos e estudamos limpos e organizados, mas a limpeza proposta pela ioga é também interna.

Foto: Reprodução / Shutter Stock


Começando pelas camadas mais grossas do corpo físico, observamos os alimentos que ingerimos, se estão de acordo com as nossas efetivas necessidades. Para tanto, consideramos que o alimento serve para promover saúde, força, energia e vitalidade. Assim, uma dieta simples, natural, nutritiva, saborosa e reconfortante e sem excessos é suficiente para manter nosso corpo saudável e limpo.

Podemos verificar também como estamos alimentando os nossos pensamentos e sentimentos, se apenas pela violência transmitida pelos meios de comunicação e relações, ou se nos permitimos nos deleitar com convivência saudável, a arte harmoniosa e edificante, a natureza, a contemplação e a meditação.

A prática de asanas (posturas físicas de ioga) também favorece a uma limpeza do corpo, purificando o sangue e nutrindo as células, pois as posturas de flexão da coluna e torções, por exemplo, promovem grande contração dos órgãos abdominais, facilitando a excreção e a circulação sanguínea. Além disso, as posturas invertidas propiciam à descida do sangue venoso para o coração apenas pela força da gravidade, o que também ajuda na limpeza e harmonia do corpo. De forma geral, tonifica o corpo inteiro e remove as toxinas causadas pelos excessos.

Os pranayamas (exercícios respiratórios) também limpam e arejam os pulmões, oxigenam o sangue e purificam os nervos.

Alem de possibilitar a limpeza física, as práticas acima auxiliam na depuração da mente, pois auxiliam no auto-estudo (svadhyaya) pela conscientização sobre os padrões de comportamento registrados no corpo.

Permitem-nos ter um momento para verificar, por exemplo, como ficamos quando sentimos medo de uma postura mais desafiadora, nos exigimos demais ou ficamos chateados por não conseguir fazer uma postura ou outra. E vamos criando caminhos e possibilidades de ação alem do medo, do desconforto, da chateação por meio de respiração, experimento, auto-observação objetiva, benevolência com as próprias falhas e valorização de virtudes.

E, na vida cotidiana, quando adotamos os mesmos gestos corporais de medo, resistência, desanimo, somos capazes de identificar com facilidade, nos tornamos mais honestos e benevolentes com nossa própria vulnerabilidade e podemos utilizar os recursos desenvolvidos em nossa prática.

Assim, as turbulências da vida vão tendo menor potencial para contaminar a serenidade e harmonia internas.

Verifica-se que a limpeza vem combinada com o segundo niyama, o contentamento (santosa) de agir com suavidade, sem ser contaminado por inevitáveis desafios e transtornos da vida.

E se obtém o benefício imediato da prática, saúde, maior clareza mental, bem estar, repouso, capacidade de relaxar, descansar, nutrir-se por respirar melhor, integração maior ao meio ambiente por nos tornarmos mais hábeis a lidar com altos e baixos. É uma recompensa muito satisfatória.

Mas podemos chegar nesse ponto e nos orgulhar por nos sentir melhor, mais saudáveis que os outros, e isso gerar uma vaidade e preguiça que voltam a contaminar nossos pensamentos e emoções.

Como somos seres desenhados para o desafio continuo, quando mantemos o status quo, logo vem a insatisfação e novos desafios surgem, somos levados a continuar praticando e observando os demais niyamas, principalmente, o estudo do Ser (svadhyaya), que será melhor detalhado posteriormente.

Seguimos, por ora, no nosso trabalho de cuidar e limpar o nosso corpo dos aspectos mais grossos aos mais sutis para que a alma lá resida confortavelmente!

REFERÊNCIAS

KRYANANDA, Swami. Desmistificando os yoga sutras de Patanjali. São Paulo: Pensamento, 2014.
IYENGAR, B.K.S. Luz sobre o yoga: yoga dipika. São Paulo: Pensamento, 2016.
IYENGAR, B.K.S. Luz na vida: a jornada para a ioga da totalidade, a paz interior e a suprema liberdade. São Paulo: Summus, 2007.
PATEL, Nita. Curso essencial de ioga. São Paulo: Publifolha, 2013.

Iara, instrutora de yoga do clube, é advogada de formação, mas foi a prática de ioga que lhe ofereceu um caminho consistente para a pacificação de conflitos. Possui duas certificações em hatha ioga e continua fazendo cursos e worshops, principalmente no método desenvolvido por B.K.S. Iyengar. Acredita no desenvolvimento integrado dos aspectos físicos, emocionais e mentais como forma de possibilitar consciência e harmonia e se dedica a facilitar esse processo.