HÉRNIA DE DISCO: Podemos evitá-la?

A Hérnia de Disco é um problema causado pela ruptura de um anel que “protege” os discos existentes entre cada vértebra da nossa coluna. Com essa ruptura, o material extravasa deste espaço e comprime a raiz nervosa adjacente, podendo irradiar dores nas pernas, dormência e/ou perda de força. Obs.: Esta não é a única causa de dores irradiantes nas pernas (estenose do canal espinhal e degeneração discal podem ser exemplos de outros mecanismos causais).

Estima-se que 5% dos homens e 2,5% das mulheres acima de 30 anos tenham algum tipo de Hérnia de Disco, resultando em mais de 5 milhões de brasileiros acometidos, segundo IBGE e, entre os diversos danos causados, a redução da autonomia, o desconforto provocado pela dor e as dispensas do trabalho podem ser citados como sérios problemas de ordem social e profissional.

Foto: Banco de Imagens Google.Foto: Banco de Imagens Google.

As causas da Hérnia podem ser sobrepeso, idade, até a forma como sentamos. Sentar indevidamente (exacerbando a retroversão pélvica), apesar de mais “econômico”, pela sustentação ser feita pelas estruturas que circundam a coluna (músculos, ligamentos e tendões), altera a rigidez dessas estruturas, que sustentam o alinhamento e controlam a aplicação de “cargas” na coluna. Como consequência, pode comprometer a saúde e a longevidade funcional da nossa coluna. Esse comprometimento é silencioso e em longo prazo, o que dificulta percebermos a evolução do hábito negativo. Contrariamente à crença popular, a procedência do componente genético na Hérnia de Disco ainda é discutida na literatura científica.

Esta ação de mobilidade indevida é também observada nas retroversões pélvicas na técnica de executantes com baixos níveis de coordenação motora, ao executar os Agachamentos em amplitudes maiores que 90º. O ponto de atenção é que nestes exercícios a quantidade de força tensionando é exponencialmente maior.

Um comportamento muito comum é a atenção nas fases agudas da Hérnia, quando os sintomas de dor e/ou limitação funcional são extremos e o retorno aos hábitos indevidos quando cessam estes sintomas é quase que uma regra. Como se o mecanismo de "herniação" tivesse sido sanado, o que não ocorre com os tratamentos medicamentosos e repouso.

Foto: Banco de Imagens Google.Foto: Banco de Imagens Google.

Portanto, duas mensagens devem ser tiradas deste texto:

  • A Hérnia de Disco pode ser controlada conforme nosso organismo consegue controlar a aplicação das cargas na coluna.

  • Ao ser diagnosticado este problema e passada a fase aguda, deve ser iniciado um programa de melhoria da funcionalidade dos músculos que sustentam a coluna, paralelamente ao trabalho de reeducação postural, sobretudo em ações aparentemente simples e cotidianas (sentar, dormir e atividades repetidas no trabalho ou em casa).

Um profissional de Educação Física pode orientar em ambas as demandas: como usar melhor a sua coluna e como melhorar a funcionalidade dos músculos que atuam sustentando a coluna.